voz | Regina Machado

violões de aço, nylon e tenor | Mário Manga

contrabaixo acústico | Itamar Collaço

arranjo | Mário Manga

Regina Machado | Sílvia Ferreira

Pulsar das horas sobre o fio
Pulsar do coração vazio
Dança de um sol que não se vê
Mas a cidade pulsa em você
Dança de um sol que não se vê
Mas a cidade pulsa em você

 

Não há como negar o ritmo - quisera!
Só há como sentir desejo que acelera
Um olho a transbordar num jorro de paixão
E o caos da cidade pulsa teu coração

6. PULSAR
 
 
 
 
 
 
REGINA
MACHADO

Considerada uma das gratas revelações da música brasileira, a cantora, compositora e instrumentista paulistana, Regina Machado, mantém a proposta de uma música brasileira com abordagem camerística em seu segundo CD, Pulsar. São 10 canções, quatro composições próprias e outras de autores tais como K.D. Lang, Lenine, Paul McCartney e Edu Lobo. Pulsar marca também o lançamento de seu selo, Canto Discos.

O produtor Mário Manga é responsável pelos arranjos e violões, uma presença desde o primeiro CD de Regina, Sobre a Paixão (Dabliú Discos/2000), que teve ótima receptividade da crítica, inclusive no exterior. Manga entende a intenção de Regina em unir a sonoridade brasileira de canções urbanas e multiculturais, quando critica a cultura contemporânea, criação/degradação, amor/medo, em arranjos delicados para voz e instrumentos de corda. É intrigante como o percurso da linguagem faz esbarrar num mesmo termo sentidos aparentemente díspares. É dessa relação 'pulsar' sentido e 'pulsar' sentimento que o repertório do segundo CD de Regina Machado está constituído. Participam também o violonista Swami Jr e o contrabaixista Itamar Collaço.

Regina Machado | Sílvia Ferreira

 

O princípio do vazio se dá inesperadamente
De repente é como se não houvesse mais nada a dizer,
Mais nada a dizer.
Como se tudo seu tivesse esvaído por entre os poros
Como se tudo seu tivesse esvaído por entre os poros

De repente é como se não houvesse mais nada a dizer,

Mais nada a dizer

Ecoa, meu desejo ecoa
Resvala e me deixa novamente só

 

Não há o que fazer

Coração fraqueja o pulso, choro...
Não há pra onde olhar,
Não há o que buscar: é só esperar e eu espero

4. VAZIO

voz | Regina Machado

violão  de nylon e violão de aço  | Mário Manga

contrabaixo acústico | Itamar Collaço

5. CONSTANT CRAVING

K.D. Lang

Even through the darkest phase
Be it thick or thin
Always someone marches brave
Here beneath my skin

Constant craving
Has always been

Maybe a great magnet pulls
All souls towards truth
Or maybe it is life itself
That feeds wisdom
To its youth

Constant craving
Has always been

voz | Regina Machado

violões e arranjo | Mário Manga

Mesmo através da fase mais escura,

Seja nos altos ou nos baixos,

Sempre alguém marcha corajosamente so a minha pele  

 

Ânsia constante que sempre foi assim

Talvez um imenso ímã puxe todas as almas para a verdade ou talvez seja a vida em si que carregue a sabedoria até sua juventude

Ânsia constante que sempre foi assim

Regina Machado | Sílvia Ferreira

 

Onde o medo e a dor da solidão esconde o céu
E o teu olhar esconde a mágoa
E amar é buscar o ar


Rebentando do céu essa nuvem te faz sonhar,
Faz levitar teu corpo espaço sobe ao ar

 

É apenas um minuto que se desprende de tudo
É apenas um segundo em que se flutua
E amar é buscar

É apenas um minuto que se desprende de tudo

É apenas um segundo em que se flutua

E amar é buscar o ar.

voz | Regina Machado

violão de 7 cordas e arranjo | Swami Jr.

7. PROMESSA

Edu Lobo | Chico Buarque

Se a noite não tem fundo
O mar perde o valor
Opaco é o fim do mundo
Pra qualquer navegador
Que perde o oriente
E entra em espirais
E topa pela frente
Um contingente
Que ele já deixou pra trás

 

Os soluços dobram tão iguais
Seus rivais, seus irmãos
Seu navio carregado de ideais
Que foram escorrendo feito grãos
As estrelas que não voltam nunca mais
E um oceano pra lavar as mãos

8. MEIA-NOITE

voz | Regina Machado

violão 7 cordas e arranjo | Swami Jr.

cello | Mário Manga

9. JUNK

Paul McCartney

 

Motor cars, handlebars, bicycles for two,
Broken-hearted jubilee.
Parachutes, army boots, sleeping bags for two
Sentimental jamboree.


Buy, buy says the sign in the shop window
Why, why, says the junk in the yard

Candlesticks, building bricks
Something old and new, memories for you and me

 

Buy, buy, says the sign in the shop window
Why, why says the junk in the yard

voz | Regina Machado

violões | Mário Manga

cello | Mário Manga

arranjo | Mário Manga 

Carros, guidões, bicicletas para dois

Jubileus de coração partido.

Paraquedas, botas de exército, sacos de dormir para dois,

Uma celebração sentimental.

"Compre", "compre"é o que diz a placa na vitrine.

"Por que?", "por que?"é o que diz o acúmulo  no quintal

Castiçais, tijolos de construção,

Alguma coisa nova, alguma coisa velha,

Lembranças para você e eu.

"Compre", "compre"é o que diz a placa na vitrine.

"Por que?", "por que?"é o que diz o acúmulo  no quintal

10. QUADRO NEGRO

Lenine | Carlos Rennó

No submundo mundo subhumano
Aos montes sob as pontes sob o sol
Sem ar sem horizonte no infortúnio
Sem luz no fim do túnel
Sem farol
Sem terras se transformam em sem tetos
Pivetes logo se tornam pixotes
Meninas minixotas miniputas
De pequeninas tetas nos decotes
Quem vai pagar a conta
Quem vai lavar a cruz
O último a sair acenda a luz
No topo da pirâmide tiranica
Estupida e tapada minoria
Cultiva viva como a uma flor
A vespa vesga da mesquinharia
Na civilização eis a barbarie
É a penúria que se pronuncia
Com sua boca oca, sua cárie
Com sua raiva e sua revelia
Quem vai pagar a conta
Quem vai lavar a cruz
O último a sair acenda a luz

voz | Regina Machado

cello, violão de aço e arranjo | Mário Manga

 
 
2.  RIO DE JANEIRO

Regina Machado

 

Rio, os teus tons azuis estão mudando,
A paixão transformada em saudade,
Copacabana não é mais princesa.


Rio, a tua verdade, de fato, é uma boca banguela.
São Sebastião, vele por ela!

 

Meu Rio de Janeiro, essa distância a nos unir cada vez mais
Meus olhos já não podem, quando longe do teu mar,
Saltar de tuas pedras rumo ao infinito.
Dois Irmãos, te ver ao fundo, o morro mais bonito


Cidade fantasia quando a morte se faz nua e crua
Teu sonho de beleza desfaz-se pelas ruas
Que medo encantador te desvendar, cidade

Que sonho assustador tua dura verdade

Meu Rio de Janeiro, cidade que reluz,
Retrato brasileiro do caos que nos conduz
Mas quando te sinto cidade a pulsar essa paixão
Um torpor me envolve, invade

E não escapo a tua sedução,
E não escapo a tua sedução.

voz | Regina Machado

violão de 7 cordas e arranjo | Swami Jr.

3. ESTATE

Bruno Brighetti | Bruno Martino

Estate sei calda come i baci che ho perduto

Sei piena di un amore che è passato

Il cuore mio vorrebbe cancellare

Estate

Il sole che ogni giorno ci scaldava

Che splendidi tramonti dipingeva

Adesso brucia solo con furore

Tornerà un altro inverno

Cadranno mille petali di rose

La neve coprirà tutte le cose

E forse un po' di pace tornerà

Estate

Che hai dato il tuo profumo ad ogni fiore

L'estate che ha creato il nostro amore

Per farmi poi morire di dolore

voz | Regina Machado

violão e arranjo | Mário Manga

contrabaixo acústico | itamar Collaço

Verão,

És quente como os beijos que perdi,

És cheio de um amor que já passou

E que meu coração gostaria de apagar.

Verão,

O sol que todos os dias nos escaldava

E esplêndidos pores-de-sol pintava

Agora queima comente com fúria

Retonará um novo inverno

Caindo mil pétalas de rosas,

A neve cobrirá todas as coisas

E talvez um pouco de paz volte.

Verão que deu seu perfume a cada flor,

O verão que criou o nosso amor

Para me fazer depois morrer de dor.

1. FORA DA ORDEM

Caetano Veloso

Vapor barato, um mero serviçal do narcotráfico
Foi encontrado nas ruínas de uma escola em construção
Aqui tudo parece que é ainda construção e já é ruína
Tudo é menino-menina no olho da rua
O asfalto, a ponte o viaduto ganindo pra lua
Nada continua


E o cano da pistola que as crianças mordem
Reflete todas as cores da paisagem da cidade que é muito
Mais bonita e muito mais intensa do que num cartão postal

Alguma coisa está fora da ordem, fora da nova ordem mundial.

Alguma coisa está fora da ordem, fora da nova ordem mundial.


Escuras coxas duras tuas duas de acrobata mulata
Tua batata da perna moderna, a trupe intrépida em que fluis
Te encontro em Sampa de onde mal se vê quem sobe ou desce a rampa
Alguma coisa em nossa transa é quase luz forte demais
Parece pôr tudo à prova, parece fogo, parece, parece paz
Parece paz
Pletora de alegria, um show de Jorge Ben Jor

Dentro de nós é muito, é grande, é total

voz | Regina Machado

violões de aço e tenor | Mário Manga

arranjo | Mário Manga

Alguma coisa está fora da ordem, fora da nova ordem mundial.

Alguma coisa está fora da ordem, fora da nova ordem mundial.

Meu canto esconde-se como um bando de Ianomâmis na floresta
Em minha testa caem vêm colar-se plumas de um velho cocar
Estou de pé em cima do monte de imundo lixo baiano
Cuspo chicletes do ódio no esgoto exposto do Leblon,
Mas retribuo a piscadela do garoto de frete do Trianon
Eu sei o que é bom.


Eu não espero pelo dia em que todos os homens concordem
Apenas sei de diversas harmonias bonitas possíveis sem juízo final.


Alguma coisa está fora da ordem
Fora da nova ordem mundial...

 

OUÇA

  • facebookoffwhite
  • youtubeoffwhite
  • Spotifyoffwhite
  • tratoreoffwhite
  • appleoffwhite
 

TODAS AS FOTOS DE PULSAR SÃO DE  GAL OPPIDO