A cantora e compositora paulistana Regina Machado dedica seu quarto CD a obra de um único autor. O álbum Mutiplicar-se Única – Canções de Tom Zé [selo Canto Discos/Tratore], arranjado e produzido por Dante Ozzetti, além de homenagear um grande nome da nossa música, faz uma volta no tempo, já que Regina começou a cantar na banda que acompanhava Tom Zé, nos anos 1980.

O repertório, selecionado em parceira com Silvia Ferreira, foi uma das partes mais difíceis do trabalho, pois, segundo Regina, Tom Zé nesses 50 anos de carreira, tem demonstrado criatividade fora dos padrões, produzindo canções e sempre se reinventando. Há desde canções recentes como João nos tribunais (2008), homenagem a João Gilberto, passando por Mutiplicar-se única, dos anos 1990, até o ‘clássico’Augusta, Angélica e Consolação (1973), crônica sobre São Paulo que tem participação de Suzana Salles e Wandi Doratiotto, expoentes da ‘vanguarda paulista’ e na qual Tom Zé dialoga, de certa maneira, com compositores como Adoniran e Vanzolini.

A história de Regina e Tom Zé é curiosa. No começo dos anos 1980, ela, ainda adolescente, foi chamada para fazer vocais na banda dele. Topou sem saber no que ia dar, guiada mais pela novidade em si. Foi e gostou, como diz: “Aquele universo musical me surpreendeu. Era interessante pois não era só música, tinha a performance. Ele falava de coisas como filosofia oriental,  semiótica, literatura. Eu, garota, nem tinha condições de absorver tudo aquilo, mas, algo naquela experiência, me mostrou que era um caminho que eu queria seguir”.

Tom Zé - cujo nome de batismo é Antônio José Santana Martins - dispensa quaisquer apresentações. É considerado uma das figuras mais originais da música brasileira. Participou, nos anos 1960, do movimento tropicalista e se tornou um nome alternativo e influente depois disso. Na década de 1990, iniciou uma carreira internacional a partir do encontro com o músico britânico David Byrne. Dono de um trabalho inquieto e ousado, cada vez mais tem a seu lado um público jovem.

Dante Ozzetti realizou diversos e premiados trabalhos com sua irmã, a cantora Ná Ozzetti. Em 2000, Dante foi o vencedor do III Prêmio Visa de Música - Edição Compositores. O prêmio o contemplou com a gravação do CD Ultrapássaro (2001). Em 2013 ganhou o Prêmio de Música Popular Brasileira pelo disco "Zulusa" da cantora amapaense Patricia Bastos. 

Regina Machado tem três álbuns anteriores lançados: Sobre a Paixão [2000], Pulsar [2004] e Agora o Céu Vai Ficando Claro [2010], este último o que inaugurou, em parceria com a produtora Silvia Ferreira, seu selo Canto Discos. Fez doutorado no Departamento de Semiótica e Linguística da USP, sob orientação do professor e compositor Luiz Tatit. Graduou-se em Música Popular pela Unicamp, onde atua desde 2002 como docente de Canto Popular e Canto na Música Popular Brasileira. Em 2011 lançou, pela Ateliê Editorial, o livro A Voz na Canção Popular Brasileira: um estudo sobre a Vanguarda Paulista.

 
REGINA
MACHADO